Peach e Bowser: um olhar definitivo sobre a complexa (e verdadeira) história do casal

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Além de manter o recorde por aparecer em mais jogos do que qualquer personagem feminina da história dos video games, a Princesa Peach, a benevolente estadista dos cogumelos, também é uma das donzelas com o maior registro de sequestros; Bowser, o rei dos Koopas, parece jamais medir esforços para atormentar sua vida — e, consequentemente, a de todos os habitantes do Reino do Cogumelo — arrancando-a do conforto das imediações reais para positivar seus objetivos egoístas. Afinal, de onde vem tamanha obsessão por parte do pai de todos os Koopas? Ou pior: estaria a alteza de olhos azuis abrindo as portas para seu próprio cativeiro devido a um latente plano de correspondência amorosa às emoções do tirano Bowser?

A teoria de um suposto relacionamento entre Mario e Peach já rendeu bastante pano para as mangas em canais como o The Game Theorists e sites como Smosh, Cracked e até mesmo o Nintendo Blast, porém — de uma vez por todas — vamos analisar minuciosamente e tirar conclusões concretas sobre todos os Mush-Rumors a respeito da encanada relação entre os contrastantes representantes da monarquia de Mushroom Universe.

Apresentem as Provas!

Uma das cenas mais usadas de suporte para a teoria "A Bela e a Fera" de Super Mario é a cutscene engatilhada após a derrota de Mecha Bowser no tropicaliente Super Mario Sunshine. A cena marca a revelação de Bowser Jr. e sua descrição de Peach como sendo sua mãe. Confusa devido à recente maré de eventos e incapaz de proferir uma resposta digna ao pestinha, a princesa opta por retrucar, "eu sou a sua mãe?!". Aqui, a grande proposição é o tom irônico usado por Peach para submeter os espectadores ao caráter nonsense da afirmação — mas, infelizmente, ironia não é de fácil compreensão popular e a vossa alteza acaba caindo nas graças de quem desesperadamente busca por uma resposta concreta sobre a misteriosa origem da prole de Bowser. No final das contas (e de Super Mario Sunshine), Bowser, num momento raro de humildade, se abre com seu filho, Júnior, para expor que havia mentido sobre o fato de que a princesa era sua mãe somente para que servisse de combustível motivacional para o levado da breca.

Cara de um, focinho de outro
Bowser, ao longo dos anos em que seu desenvolvimento fora lapidado por Shigeru Miyamoto e sua equipe criativa responsável, tem sido retratado como um déspota bestial que, de fato, passou a nutrir um certo sentimentalismo em relação à loira de vestido cor-de-rosa. Seja em histórias em quadrinhos como Super Mario Adventures, filmes como Super Mario Bros.: Peach-hime Kyushutsu Dai Sakusen! ou em games como Super Paper Mario, Bowser mostra um forte interesse na conquista não somente dos fartos territórios dos cogumelos como também no coração de sua venerada princesa. Inclusive, em certas ocasiões, Bowser já demonstrou ciúmes no tocante à relação de Peach com seu heróico cavaleiro encanador, Mario.

Para dar seguimento aos planos de Conde Bleck em Super Paper Mario, Bowser até mesmo se casou com Peach — esta, hipnotizada — como válvula de libertação para o tão dito Chaos Heart (o "Coração do Caos"), uma fonte maligna de poder destravada pelo casamento de um monarca monstruoso e uma princesa de coração puro. Tendo em vista que fora um casamento forjado, não é tido como oficial pela Princesa Peach — mas Bowser, que participara de todo o movimento por livre e espontânea vontade, ainda continuou acreditando no matrimônio por um tempo. Somado a isso, em Mario & Luigi: Bowser's Inside Story, é revelado que a memória mais bem preservada de Bowser é a de Peach; no entanto, apesar de seus sentimentos, o monstrengo sempre faz pouco caso da felicidade e bem-estar da princesa e definitivamente a mantém refém em seu castelo, ataca seu reino e todas as pessoas com as quais ela se importa.

O Direito de Defesa

Bowser mantém um diário em Paper Mario no qual expressa seu desejo pelo retorno afetivo de Peach; mas apesar da nitidez da aparente paixão que o rei dos Koopas emana pela princesa dos cogumelos, esta jamais o corresponde. Além disso, sua paixão platônica não é sua principal motivação nas aventuras de plataforma do encanador. O manual de Super Mario Bros. pontifica que o sequestro de Princess Toadstool fora necessário pois ela era a única criatura capaz de desfazer a magia negra usada pelo rei Koopa para afetar os cidadãos do reino. Jogos como Super Princess Peach e Super Mario 3D World colocam Peach em perigos inimagináveis criados pelo próprio Bowser, que não mediu esforços para travar batalhas cara-a-cara com a princesa dos fungos.

Para não dizer que Peach jamais tivera alguma faísca emocional responsiva por Bowser, ela comprovadamente já sentiu por ele uma fagulha de compaixão e, como era de se esperar, pavor. Super Mario RPG: Legend of the Seven Stars é um dos ensejos que destacam o medo e o horror que Peach desenvolveu e ainda sustenta por Bowser: ao ver que o monstrengo havia se unido à party do encanador bigodudo, ela quase desfalece de susto. Sempre que Bowser se recusa a se unir a Mario para derrotar um malefício maior, Peach utiliza de um linguajar brando, doce e afetuoso para manipulá-lo — algo que o tira dos trilhos, mas que sempre funciona!

Então, de onde vieram os filhos de Bowser?

Até setembro de 2012, era crido que os Koopalings, os fiéis acólitos de Bowser ativos desde Super Mario Bros. 3, eram de fato os seus filhos; não obstante, numa entrevista recente de Shigeru Miyamoto, o lendário desenvolvedor surpreende a todos anunciando uma certa mudança na visão oficial da narrativa de Super Mario, dizendo que "nossa história atual é a de que os sete Koopalings não são filhos do Bowser" e que "seu único filho é Bowser Jr., e nós não sabemos quem é a sua mãe". Esta é a única informação verídica que temos; o resto é especulação. Desde sua primeira aparição em 1985, Bowser é tido como um grande mestre da magia negra e, muitas vezes com a ajuda de seu mentor Kamek, já fora capaz de materializar objetos e até mesmo seres viventes a seu simples comando. Por que não uma criatura feita à sua imagem e semelhança? Adicionalmente, uma antiga edição da revista Nintendo Power do Reino Unido mencionou que Bowser já teve uma alma gêmea — uma esposa chamada Clawdia Koopa; no entanto, ela jamais fora citada novamente e é fortemente tratada como nada além de uma piada feita pelos editores da publicação. Até agora, porém, o envolvimento de Peach na criação dos Koopalings ou de Bowser Jr. é de longe a mais inverossímil de todas as teorias. Tudo o que temos, infelizmente ou não, são as afirmações recentes de Miyamoto solidificando o mistério.

Então pode-se dizer que...

Desculpe, Bowser! Mas a princesa está em outra
Se Peach realmente tivesse por Bowser algum tipo de comportamento emocional responsivo, por qual motivo demonstraria repugnância por ele durante uma cerimônia de premiação em Mario Power Tennis, recusando-se a parabenizá-lo com um singelo beijo na bochecha? Se ela alimentasse todos os teóricos polêmicos e estivesse realmente engendrando seus sequestros somente para se acomodar nos aposentos de Bowser, certamente o faria às escuras — e não de forma a colocar em risco o seu reino, sua própria vida e todo o universo! Por não haver provas concretas de uma relação mútua entre Peach e Bowser, pode-se tomar como verdade absoluta que Mario (ou seria o príncipe Haru?) é seu verdadeiro par literário e que todos estes boatos não passam de um grande absurdo, um chamariz para discussões e controvérsias sem a apresentação de fontes plausíveis. Uma péssima química em jogos como Mario Superstar Baseball e a extrema rivalidade visual em Mario Strikers Charged só têm a confirmar: uma relação amorosa (ou sequer um enlace afetivo) entre Peach e Bowser é simplesmente inquestionável.
    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (1)

1 comentários:

Unknown disse...

Gostei!!!

Postar um comentário