Controvérsia da Nintendo baixar ROMs da internet para o Virtual Console no passado é esclarecida

quarta-feira, 10 de outubro de 2018



Alguns anos atrás, quando a Nintendo começou a disponibilizar clássicos de grande parcela de sua biblioteca de consoles no Nintendo Wii, uma pequena controvérsia foi gerada na comunidade de emulação e preservação de jogos.

Diante da ação constante da companhia japonesa contra emulação e distribuição ilegal de jogos, membros do cenário fizeram uma investigação prévia utilizando a ROM de Super Mario Bros. lançada no Virtual Console e apontaram que seria uma exata cópia de um arquivo circulando na internet em sites de emuladores a fio. Isso gerou muita conversa na época, uma vez que consumidores se sentiam lesados, por mais que o direito legal ainda estivesse ao lado da Nintendo.

Anos se passaram e uma nova evidência foi descoberta, desta vez à favor da Nintendo. O sub-Reddit de especialistas em emulação de NES, reportam que após uma pesquisa profunda ao histórico de emulação oficiais da Nintendo, retornando nos jogos de 8-bit que estavam disponíveis para ser jogados através de Animal Crossing no GameCube, um engenheiro eletrônico freelancer chamado Tomohiro Kawase foi creditado pela as extrações dos jogos de seus cartuchos originais. Essas mesmas configurações podem ser conferidas nas ROMs contidas no lançamento subsequente do Virtual Console do Wii.

Tomohiro Kawase foi responsável por trabalhar em emuladores gratuitos no passado e contratado pela a Nintendo para realizar o serviço de forma legal.

No fim das contas, mesmo que as ROMs disponíveis no Virtual Console fossem as disponíveis uma vez na internet, a propriedade intelectual de ditos jogos ainda seria da Nintendo e outras companhias envolvidas, sendo assim completamente legal tomarem posse delas. Mas é sempre bom notar que apesar dessa possibilidade de andar pela a área cinza que é a emulação de jogos antigos, a Nintendo buscou seus próprios meios de conservação.


O que acha da conclusão desta história, caro leitor? Não deixe de compartilhar conosco.

    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (0)

0 comentários:

Postar um comentário