domingo, 19 de junho de 2016

Representante da Nintendo diz que companhia ainda estuda melhor forma de voltar ao Brasil

Apontando as altas tarifas de importação como um dos principais motivos para a sua decisão, a Nintendo encerrou suas atividades no Brasil em janeiro do ano passado, mas deixou claro que continuaria monitorando o ambiente de negócios em nosso país para decidir o melhor momento de um retorno. Será que alguma coisa mudou nos últimos quinze meses? Considerando que vivemos atualmente um nebuloso período de crise econômica e política, é de se imaginar que mudou sim, mas para pior.

No entanto, a julgar pelas palavras de Bernardo Guzman-Blanco, um dos principais representantes da Nintendo na América Latina, a companhia parece otimista em relação a este assunto, e tem estado atenta à manifestação de sua comunidade de fãs no Brasil, mas ainda não tem uma data definida para voltar a atuar por aqui. Leia a declaração que o executivo deu ao site UOL Jogos logo abaixo.

Nunca paramos de pensar no Brasil desde que saímos do país no começo de 2015. Ainda estamos olhando para nossos fãs lá. Acompanhamos suas vozes nas redes sociais, ainda visitamos sites e fóruns brasileiros. Estamos trabalhando para encontrar o melhor jeito de voltar ao Brasil com nossos produtos.

Apesar de não ter mais representação oficial no Brasil, vale destacar que a Nintendo confirmou no início deste ano o lançamento de Mario & Sonic at the Rio 2016 Olympic Games no país; a versão de 3DS pode ser encontrada à venda na loja Gameblast Store, e a versão de Wii U deve ser lançada ainda este mês, mas já está em pré-venda.

É interessante ressaltar também que a eShop brasileira do 3DS (com preços em reais) continua funcionando normalmente, e serviços importantes como a Conta Nintendo e o programa de recompensas My Nintendo foram localizados para o nosso idioma. Pode não ser o cenário ideal para fãs tupiniquins da Nintendo, mas são sinais bem claros de que a companhia está preocupada em manter uma estrutura que facilite seu regresso definitivo ao país no futuro. E que este futuro esteja próximo.

    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (1)

1 comentários:

Carlos Nakamura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Postar um comentário