Consoles e games da Nintendo deixam de ser distribuídos no Brasil; companhia diz que pretende reavaliar o mercado

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Em um comunicado que certamente deixará seus fãs tupiniquins muito desapontados, a Nintendo anunciou oficialmente que vai encerrar seus negócios no Brasil, ou seja, infelizmente não teremos mais a distribuição de seus consoles e games em nossa região. Vale notar que, nos últimos quatro anos, os sistemas da Nintendo, assim como seus games, vinham sendo distribuídos pela Gaming do Brasil, subsidiária da Juegos de Video Latinoamérica. Segundo Bill van Zyll, Diretor e Gerente Geral para América Latina, os altos impostos de importação vigentes atualmente, aliados à falta de uma fábrica local, tornaram o modelo de negócios da Nintendo impraticável em nosso país; apesar disso, a companhia continuará atenta a quaisquer evoluções que ocorram no ambiente de negócios para encontrar uma maneira de atender aos seus fãs brasileiros.

O Brasil é um mercado importante para a Nintendo e lar de muitos fãs apaixonados mas, infelizmente, desafios no ambiente local de negócios fizeram nosso modelo de distribuição atual no país insustentável.

Estes desafios incluem as altas tarifas sobre importação que se aplicam ao nosso setor e a nossa decisão de não ter uma operação de fabricação local. Trabalhando junto com a Juegos de Video Latinoamérica, iremos monitorar a evolução do ambiente de negócios e avaliar a melhor maneira de servir nossos fãs brasileiros no futuro.

Bernard Josephs, Diretor Executivo da Juegos de Video Latinoamérica, afirmou que a parceria com a Nintendo continua, mas que o modelo de distribuição para o Brasil precisa ser reavaliado.

Somos parceiros da Nintendo na distribuição de seus produtos na América Latina há 14 anos e continuamos comprometidos com a marca. E, enquanto nenhuma outra mudança está planejada para outros mercados da região, estamos em uma posição em que precisamos reavaliar nossa abordagem na distribuição no Brasil.

Continuaremos a monitorar o ambiente no país para que possamos avaliar futuras oportunidades.

De acordo com a Nintendo, a venda de seus consoles e games deve continuar somente enquanto houver estoque nas lojas; no entanto, isso não vai afetar a área de games digitais para 3DS e Wii U, que continuarão a ser comercializados no Brasil.

Via G1
    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (0)

0 comentários:

Postar um comentário