quarta-feira, 17 de junho de 2015

Top 5: Erros comuns de quem é leigo na série Mario

Quando o assunto é Mario, a equipe Reino do Cogumelo possui o conhecimento acumulado de anos de pesquisa e enciclopédias temáticas e, como bem provam os eternos pergaminhos da história do cosmos, este caminho incerto tem levado estes humildes cogumelos do jornalismo online ao conhecimento de grandes editores e publicações. Mas comete um ledo engano quem acha que é fácil ser manjador da série Mario — ou, como insistem, nos "joguinhos do Mario Bros."! Fácil mesmo, num círculo social, é ser fã de futebol, telespectador de novela! Paisanos, uni-vos: o Top 5 de hoje dá luz àqueles que não entendem muito bem da gigantesca franquia da Nintendo, às crianças que riem de você por não preferir Grand Theft Auto, e àqueles que, assim que tomam ciência sobre seu favoritismo, já mandam aquela velha, horripilante piada: que Mario?! A seguir, compilamos as maiores e mais marcantes características de quem não entende muito bem sobre a série. Let's-a go!

5. Chamar o Yoshi de "cavalinho"


Como se montar num dinossauro não fosse mil vezes mais legal
Se você acha que é necessário muito para ser considerado um fã de Mario, engana-te: no geral, basta jogar, curtir, conhecer e respeitar o papel da franquia na história dos video games. Mas há quem que não passe nem dos requisitos básicos; se você, por exemplo, sabe quem é o Yoshi, já está a um passo à frente de muitos. A maioria de nós tem uma história a contar de gente que insistia em apelidar a fiel montaria jurássica de Mario de — pasmem — "cavalinho". Mesmo sendo uma terminologia inocente, não justifica o senso comum: de longe, sua anatomia é de um inconfundível dinossauro cartunesco.

4. Chamar o Bowser de "Browser"


...de O Livro de Koopa, 3:31
Bowser é indubitavelmente um dos maiores vilões da cultura geek, levando em conta fatores como tradição, aceite positivo do público-alvo, inovação e número de recorrências distintas ao longo de várias décadas. Uma pena o rei dos Koopas não ser tão socialmente reconhecido quanto antagonistas como Darth Vader ou Voldemort. O nome de Bowser pode, sim, ser mencionado — mas há poucas pessoas que sabem fazê-lo! Se você já ouviu alguém chamá-lo de "Browser", segurou a gargalhada e imaginou como seria um navegador de internet produzido pelas mentes alquímicas da Terra da Escuridão, você não está sozinho!

3. Não saber o nome da princesa


Tem a letra "O"?
A sabedoria popular sobre o enredo de Mario é a de que o herói resgata a princesa das mãos do vilão. Não é grande supresa que isso seja tudo o que jogadores de várias gerações resumem em conhecimento. Comumente focado em jogabilidade, o emblemático e lucrativo fruto bigodudo de Shigeru Miyamoto não dá aos jogadores um material narrativo sólido o bastante para marcá-los em suas memórias de juventude. Mas pergunte aos seus arredores se as pessoas sequer sabem o nome da Princesa Peach. Acredite ou não, é muito raro! Vamos facilitar: "Princess Toadstool" e "Princesa Cogumelo" também servem!

2. Achar que "Bros." é o sobrenome do Mario


Meu nome não é Bros.!
O nome original da micro-empresa de manutenção de encanamentos Mario Bros. Plumbing sempre foi motivo de confusão até mesmo entre os mais assíduos na série de games. Apesar disso, o assunto não é lá um Tryclyde de três cabeças. Se há alguma contribuição histórica deixada pelo controverso filme Super Mario Bros., de 1993, foi a tradução do nome para "Encanadores Irmãos Mario", o que simplifica tudo. Ainda assim, há quem atribua o termo "bros.", ou "brothers", "irmãos", ao sobrenome de Mario — que, na verdade, não existe. Vamos combinar: a família "brós" seria muito, muito esquisita.

1. Pensar que há 100 saídas em Super Mario World


Lembre-se: qualquer um pode cair no erro, mas só os idiotas perseveram nele
Se você conhece Super Mario World de cabo a rabo, da Ilha do Yoshi ao Special World, você pode nos dar as mãos na certeza de que existem apenas ☆96 saídas habilitadas no clássico de Super Nintendo Entertainment System. Por ser um dos primeiros games da série a atingir sucesso em terras tupiniquins, muitos brasileiros ainda se lembram de o terem zerado por completo — muito embora alguns ainda jurem de pés juntos que o contador da tela inicial é um sinal de porcentagem, e que é possível alcançar o número 100... ou mais! Jamais lhes deem ouvidos, Mario-maníacos: 96, e não 100, é o numeral do absoluto!

Veja também: interpretações erradas sobre Mario as quais você deve debater!
    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (2)

2 comentários:

Ulisses 8 Bit disse...

Sobre o Yoshi, o senso comum é totalmente justificado. Obviamente, uma pessoa mesmo não sendo fã de games, reconhece que o Yoshi não é um cavalo, até uma criança percebe isso, entretanto, quando Mario o usa como montaria, a associação fica muito clara ao papel em que o dinossauro está desempenhando ali, a de um cavalo.
Cavalinho pode estar errado em relação a anatomia mas não quanto a função que o personagem desempenha, por isso o senso comum é totalmente justificado.

anonimo disse...

Quando é que vai ter mais top 5?

Postar um comentário