Reino do Cogumelo apresenta: Super Mario na Noite do Terror | Super Mario in Die Nacht des Grauens

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Era uma noite profundamente tempestuosa para os maiores ícones da Nintendo; a presença do mal se estendia pela cidade de Nova York e criaturas do além se alastravam pelo Nintendo Skyscrapper, o edifício que reúne os triunfantes heróis do universo dos games no coração da cidade que nunca dorme. É nesse clima macabro que se apresenta a história em quadrinhos Super Mario in Die Nacht des Grauens, marcada na história como a mais sombria graphic novel já produzida oficialmente para o encanador bigodudo — quiçá por toda a Nintendo. Entre pactos e conjuras, zumbis, serial killers, bonecos assassinos e gênios do mal, a história, produzida e publicada em duas partes pelos editores da revista Club Nintendo da Alemanha (nos meses regionais de Halloween de 1996 e 1997), apresenta um clima muito mais lúgubre e tenebroso do que se vê na série Mario até os dias de hoje.

O Reino do Cogumelo apresenta Super Mario na Noite do Terror, a versão traduzida para português da versão germânica do clássico. A tradução e adaptação ficou ao encargo de Tamnod e Eduardo Jardim. Prepare-se para conhecer os horrores de uma noite alucinante na vida de Mario, Link, Kirby e Princesa Toadstool ao ultrapassar os umbrais de um domínio profano e obscuro onde poucos ousam entrar...

Super Mario na Noite do Terror

Brooklyn, Nova York. Às vésperas da meia-noite, a cidade treme à mercê do mais forte temporal já registrado pelos meteorólogos desde a grande tempestade de 1947. No edifício dos personagens da Nintendo, um relâmpago ofuscante anuncia a chegada de hóspedes malditos...

A Noite do Terror - Parte II

Após uma série de eventos afortunados atingir nossos heróis Mario, Link e Kirby, tudo se estabilizou... por pouco tempo. Agora numa situação desesperadora e grotesca, uma irracional e possessa Princesa Toadstool coloca o trio de protagonistas da Nintendo em rota de colisão com Abigor e sua horda de criaturas do suplício eterno.
    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (0)

0 comentários:

Postar um comentário