Mario Strikers: ex-diretor revela a origem do alambrado eletrificado e influência de um outro esporte


Um dos conceitos que mais distinguem a série de outros spin-offs do Mario — e certamente um dos mais divertidos —, a cerca eletrificada de Mario Strikers é uma das muitas características que retornará para a threequel Mario Strikers: Battle League, desenvolvida pela agora subsidiária da Nintendo Next Level Games.

Em entrevista ao GameXplain, Mike InglehartGame Director de Super Mario Strikers para GameCube e Mario Strikers Charged para Nintendo Wii — mas que hoje não integra mais o quadro de funcionários da empresa e mantém-se longe do desenvolvimento de Battle League —, conta de onde veio a ideia do pernicioso alambrado eletrificado dos estádios do Reino Cogumelo. E manter o ritmo acelerado do game parece ter sido a principal circunstância de sua criação:

A maior motivação no início era manter o fluxo do jogo, porque queríamos que partidas de três minutos fizessem parte da experiência principal. Não queríamos que a bola ficasse saindo do campo, como em arremessos laterais. Se você estiver jogando uma simulação pura de futebol, cobrança de escanteio, arremessos laterais, todos eles têm um propósito. Para o que estávamos tentando construir, tentamos manter o fluxo do jogo.

A ideia de dar um choque nos jogadores desavisados parece ter partido do produtor de Strikers e veterano da Nintendo desde 1986, Kensuke Tanabe:

Inicialmente, eram apenas paredes invisíveis que mantinham a bola dentro. Acredito que tenha sido o Tanabe-san que disse, "por que não eletrificamos a parte externa e a tornamos um impedimento, para estimular uma tomada de decisão?". Porque, se jogar alguém que não tem a posse de bola na parede, você o tira da jogada e empodera o outro time, e isso se torna uma decisão tática no estilo de pedra, papel e tesoura dependendo da situação do jogo.

As regras radicais do futebol dos cogumelos foram inspiradas por uma outra modalidade esportiva muito conhecida por suas fortes marcações de bodychecking, relembra Inglehart:

Também há um pouco de hóquei ali, é claro, adicionando uma boa marcação. É óbvio que não é possível eletrocutar as pessoas no hóquei, mas há uma forma de dar vida a isso. Percebi no trailer que [o alambrado eletrificado] é parte da sequência de abertura na qual os fãs acabam levando um choque no alambrado porque querem se aproximar o máximo possível do estádio, e é uma ideia divertida e extravagante que realmente incorpora o espírito do jogo.

Mario Strikers: Battle League será lançado para o Nintendo Switch no dia 10 de junho de 2022, e já está disponível para pré-venda por R$ 299,00 no site oficial. O jogo terá 3.0 GB de tamanho e também terá suporte para o idioma português do Brasil, tornando-o o segundo título de consoles, seguido de Mario Party Superstars, a receber a localização.

Continue ligado no Reino do Cogumelo para mais curiosidades!
Eduardo Jardim

Natural de São Paulo (SP), Eduardo "Pengor" Jardim é um criador de conteúdo, cartunista e imaginauta. Criou o Reino do Cogumelo em 2007 e desde então administra e atualiza seu conteúdo, conquistando um prêmio Top Blog e passagens pela extinta Nintendo World.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem