Back to the Bits: Aquela assoprada no cartucho

sábado, 7 de setembro de 2019


Quando eu era filhote, a maioria da minha experiência com a vasta biblioteca dos consoles que tive (SEGA Master System, SNES e PlayStation, principalmente) foi tudo graças ao saudoso ato da locação de jogos. Era ótimo, especialmente na época de vídeo games de cartucho, apesar do constante uso passando de mão em mão, você sempre tinha a certeza que iria funcionar.

Óbvio que, nenhum é feito de titânio (ou Nintendium?), e algumas poucas vezes o cartucho falhava ao iniciar, glitchava ou até mesmo poderia corromper um save file seu, na pior das hipóteses. No início dos anos 90, a regra não dita era, "se deu problema é hora de assoprar a fita!", hoje é de conhecimento comum que não devemos fazer isso, devido ao fato que gotinhas de saliva inevitáveis podem parar nos contatos do jogo e danifica-los a longo prazo, mas na época? Era a solução mais prática e imediata pra voltar a jogar!

Eu e o Spank estamos jogando Super Mario 64 para o Back to the Bits, através do Wii no Virtual Console, como já mencionamos antes, mas não estamos livres de uns probleminhas técnicos... isso é por conta da imensa gambiarra que temos instalada por aqui pra ligar tantos aparelhos ao mesmo tempo na mesma TV e aparelho de captura.

Veja o vídeo dessa semana e entenda em detalhes qual é da imagem distorcida:

Episódio 77



Link Direto

Quem dera pudéssemos apenas dar aquela assoprada no cartucho pra resolver essas inconveniências... mas a ideia agora é substituir o divisor (ou chaveador) que está apresentando mau funcionamento. Mas mesmo com o jeitinho brasileiro, a gente não vai deixar de trazer conteúdo pra vocês!

Até a próxima!
    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (0)

0 comentários:

Postar um comentário