A teoria Peachette: seria a princesa Peach um Toad disfarçado o tempo todo?

sexta-feira, 14 de setembro de 2018


Seria a princesa Peach o elo perdido na evolução dos Toads?

Anunciado ontem na mais recente edição da Nintendo Direct, New Super Mario Bros. U Deluxe para Switch provou ser mais do que um simples port da aventura original para Wii U lançada 6 anos atrás. Além de já vir com a extensão New Super Luigi U — que rende ao jogo um total de 164 fases —, novos personagens jogáveis foram incluídos, como Nabbit, ou Coelharápio (como é conhecido em português europeu), e Toadette.

Criada como parceira de corrida do Toad em Mario Kart: Double Dash!! (GameCube, 2003), Toadette conquistou os fãs da franquia com seu carisma e sensibilidade. Em New Super Mario Bros. U Deluxe, ela ganha ainda mais uma peculiaridade: ao adquirir o novíssimo Power-Up chamado oficialmente no Brasil de supercoroa, Toadette se transforma em Peachette, uma figura extremamente semelhante à princesa Peach — exceto por diferenças visuais como o penteado, os sapatos, a coroa, a cor dos olhos e o vestido de bolinhas, traços reminiscentes da espécie Toad, tornando-a uma amálgama entre os seres humanos e o povo-cogumelo. Como Peachette, o jogador poderá executar saltos duplos similares à princesa Daisy de Super Mario Run, tal qual o Floating Jump que é uma característica proeminente da Peach. E não para por aí: esta transformação poderosa tem imunidade automática contra precipícios, sendo expelida novamente para cima ao cair.

A Princesa-Cogumelo

Muito embora nesta primeira impressão Peachette pareça ser tudo de bom, esta novidade na franquia mais popular da Nintendo acabou deixando muitos fãs e entusiastas com uma pulga atrás da orelha. Sabe-se que supercoroas espalhadas em locais como a Planície das Nozes transformam Toads comuns em réplicas de um ser humano. Isso parece surpreendente a algumas pessoas — isto é, as que ainda não jogaram Super Mario 64 DS, um jogo que, antes do surgimento de New Super Mario Bros. U Deluxe, detinha sozinho um dos nomes mais esquisitos em relação ao console que o executava. Na aventura para DS, o Mario's Cap transmutava o Yoshi em uma réplica perfeita do encanador bigodudo, então este tipo de transfiguração não é necessariamente uma novidade para Super Mario. A diferença, neste caso, é que Peachette é uma forma híbrida de humano com Toad, e não uma réplica perfeita.

Com base no conhecimento de que Toads podem se transformar em seres humanos se estiverem em posse de um chapéu apropriado, quais são as chances da princesa Peach ser um Toad disfarçado o tempo todo? Sustentando esta teoria está o fato de que os Toads estranhamente escolheram uma humana para reger sobre sua espécie, enquanto demais membros da administração fúngica continuam sendo Toads — como o Chancellor de Super Mario RPG: Legend of the Seven Stars, o Toad Minister de Paper Mario e o Toadsworth.

Há muitos anos, especulamos aqui no Reino do Cogumelo que talvez haja sangue de Toad correndo nas veias da princesa Peach — tudo graças à personagem de raça Toad a qual a princesa chama de Grandma, ou "vovó", em Super Mario RPG: Legend of the Seven Stars. Entretanto, tratava-se, provavelmente, de nada mais que um apelido carinhoso, não a representação de uma ligação sanguínea entre as personagens; afinal, na página 21 do guia do RPG de SNES publicado sob o selo Nintendo Player's Guide, ela é referida como chambermaid, que traduz apenas como "camareira". O nome original da personagem no Japão também é ばあや, ou Bāya, um termo carinhoso utilizado para empregadas idosas.

Alguns teóricos do fórum ResetEra vão ainda mais além ao conjecturar que um Toad fêmea nasce a cada 100 anos, como numa colônia de abelhas, e esta seria destinada a governar sobre o reino. Isto, no entanto, excluiria as dezenas de meninas da espécie Toad espalhadas pelos jogos de RPG do Mario, como Chanterelle e Minh T. de Paper Mario e Dr. Toadley's intern de Mario & Luigi: Bowser's Inside Story. Para remediá-lo, também foi cogitado que bastaria a um Toad fêmea o uso de uma supercoroa para que assumisse a forma humana de regente do Reino do Cogumelo, e que somente uma entre tantas teria o direito de usá-la, fortalecendo ainda mais a conspiração de que Peach seja, na verdade, um Toad em disfarce o tempo todo.

Refutando a teoria

Peach Bebê (Baby Peach), recorrente na série Mario desde Mario & Luigi: Partners in Time, prova que a princesa Peach tem sido um ser humano desde seus primórdios. E embora não seja canônico mas ainda interessante de se notar, o episódio "Dois Encanadores e um Bebê" do segmento animado de The Super Mario Bros. Super Show! mostra uma bebê Peach como resultado da imersão da princesa numa fonte da juventude. A série da DiC Entertainment era baseada nos jogos da série principal para NES, então pode-se dizer que ela tem sido considerada como um ser humano puro, sem sangue de Toad, desde o fim dos anos '80. A existência do personagem Mushroom King, pai da Peach, em determinadas publicações físicas da Nintendo Comics System e Nintendo Adventure Books, também mostra a inclinação natural dos seres humanos de governar sobre o povo-cogumelo.

Outra impugnação: conforme apontado pelo nosso leitor Flávio Henrique Cesar por meio do nosso Facebook, se a forma anterior da princesa Peach realmente fosse um Toad, ela não reverteria para a versão pequena de si mesma ao ser atingida por um inimigo ou obstáculo em jogos como Super Mario Bros. 2 (NES, 1988) e Super Mario 3D World (Wii U, 2013).

Por ora, é só o que temos a tratar sobre o novo Power-Up introduzido à série Mario conhecido como supercoroa. Peachette, resultado deste poder inédito, coloca muitas cacholas para funcionar — mas, no fim das contas, os elementos do lore de Super Mario parecem ser muito mais simples, intuitivos e particulares aos jogos em que são introduzidos do que constroem nossas vãs filosofias.
    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (1)

1 comentários:

Vinícius disse...

Acabei de ver um trailer do jogo no canal da Nintendo no YouTube. Parece ser bem legal. Ansioso pelo lançamento!

Postar um comentário