Miyamoto fala sobre baixo desempenho em vendas do Wii U, e se mostra muito confiante no sucesso do NX

quarta-feira, 24 de junho de 2015

Consumidores de games e a mídia em geral têm apontado muitas razões para o baixo desempenho comercial do Wii U, o console de oitava geração da Nintendo lançado em novembro de 2012: falta de apoio de desenvolvedoras 3rd-party, marketing ineficiente, ausência de um sistema de contas unificado, poder gráfico aquém do esperado, entre outros. Em entrevista ao site NPR, o célebre designer Shigeru Miyamoto, que é uma das figuras mais respeitadas na indústria dos games, e costuma se envolver diretamente na concepção dos novos hardwares da Nintendo, deu uma opinião bastante lúcida e honesta sobre o assunto. Em primeiro lugar, Miyamoto cita o alto preço do Wii U como um dos fatores que pode ter atrapalhado seu desempenho inicial.

Infelizmente com nosso último sistema, o Wii U, o preço acabou ficando um pouco mais alto do que gostaríamos. Mas algo que sempre nos esforçamos em fazer é encontrar uma forma de oferecer novas tecnologias que podemos utilizar a um valor que seja acessível a todas as pessoas.

Miyamoto ressaltou ainda que a Nintendo não pretende se envolver em uma competição de quem consegue ter as mais altas especificações técnicas em seu console pelo custo mais baixo, como suas concorrentes fazem, mas sim encontrar um equilíbrio de recursos com uma interface que qualquer pessoa possa utilizar. Nesse ponto, o desenvolvedor menciona a rápida evolução na área dos tablets, que em sua opinião diminuiu o apelo do Wii U GamePad junto ao público.

Acho que, com o Wii U, nosso desafio foi que talvez as pessoas não tenham entendido o sistema. Mas penso também que temos um sistema que é muito singular - e particularmente com sistemas de videogame, normalmente se leva algum tempo para a inicialização. E pensamos que com uma funcionalidade estilo tablet, você teria a conveniência de ter aquele controle por toque com você no sofá enquanto joga em um dispositivo conectado à TV, e seria um sistema realmente único que introduziria alguns estilos únicos de jogabilidade.

Eu acho que, o que infelizmente acabou acontecendo foi que os tablets apareceram no mercado e evoluíram muito, muito rápido, e infelizmente nosso sistema foi lançado em uma época onde as singularidades de seus recursos não eram mais tão fortes como quando começamos a desenvolvê-las.

O criador de Mario e Zelda, porém, se mostrou muito confiante no sucesso do próximo sistema dedicado a games da Nintendo, de codinome "NX", que será revelado em 2016, e também na boa receptividade de dois grandes títulos para Wii U que chegam ao mercado no final deste ano, e contam com seu envolvimento direto: Super Mario Maker e Star Fox Zero.

Então, o que eu acho que é único na Nintendo é que estamos constantemente tentando fazer coisas inovadoras e diferentes. Algumas vezes elas funcionam, e algumas vezes não são o grande sucesso instantâneo que imaginamos. Depois do Wii U, da próxima vez esperamos que seja realmente um grande hit.

Então temos Super Mario Maker, onde é possível criar estágios na tela de toque em sua mão enquanto assiste a tudo na tela grande, e com games como Star Fox Zero, onde a tela grande representa uma experiência em estilo filme, mas com o gamepad e sua tela em suas mãos, você será capaz de jogar um videogame ao mesmo tempo que tem toda a empolgação de ver aquelas cenas cinematográficas acontecendo na TV.

E eu acho que isso vai deixar as pessoas muito entusiasmadas, e espero que elas estejam ansiosas para jogar estes games para Wii U no final do ano.

E você, leitor(a), o que pensa sobre as declarações feitas por Shigeru Miyamoto? Acredita que a rápida evolução dos tablets realmente colaborou para o baixo desempenho do console nas prateleiras? Em sua opinião, o que o "NX" precisa ter/oferecer para ser um grande hit logo em sua estreia, como deseja a Nintendo? Comente!

Via NPR
    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (0)

0 comentários:

Postar um comentário