Presidente da DeNA acredita que ao menos 150 milhões de pessoas comprarão games Nintendo em smartphones

domingo, 13 de setembro de 2015

Prestes a anunciar o primeiro game Nintendo para dispositivos móveis smart que chega ao mercado ainda em 2015, o presidente da DeNA se mostra extremamente confiante nos resultados desta parceria com a Big N. Em entrevista concedida para o site [a]listdaily, o executivo japonês Shintaro Asako revelou que espera ver pelo menos 150 milhões de pessoas baixando e experimentando os games Nintendo em smartphones e afins, baseando-se principalmente na base de fãs fieis da companhia; leia a declaração logo abaixo.

Centenas de milhões de pessoas já compraram consoles Nintendo. Estas são pessoas que decidiram gastar um mínimo de U$200 somente para ter acesso à IP da Nintendo. Este número já é duas vezes maior que a base de usuários de Candy Crush. Além disso, cada pessoa que compra dispositivos Nintendo gasta uma média de U$100 por ano em software. Então eu não tenho dúvida de que quando os games Nintendo para mobile chegarem, ao menos 150 ou 200 milhões de pessoas vão experimentá-los. Estas pessoas são fãs super apaixonados da Nintendo que costumam investir cerca de U$150 a U$250 só para acessar o conteúdo. Vamos dizer que apenas 10% acabe jogando, e então estes usuários pagam U$3 por mês, isso já dá talvez 60 milhões de dólares por mês em um game.

Asako afirmou também que a estratégia de marketing a ser adotada para os games Nintendo no mercado mobile é tentar atingir as massas logo de cara. Esse tipo de atitude não é comum neste mercado, já que normalmente as desenvolvedoras fazem campanhas focadas primeiramente no cenário digital para evitar possíveis prejuízos financeiros.

No entanto, a força das IPs da Nintendo torna a propaganda em massa bem menos arriscada, e mais eficiente, segundo o CEO da DeNA. E como andam as suas expectativas para a entrada definitiva da Nintendo no mercado mobile, leitor(a)? Também está confiante no sucesso da companhia nesta disputadíssima nova área de negócios? Comente!

    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (0)

0 comentários:

Postar um comentário