Detalhes sobre o desenvolvimento de Mario Takes America, game cancelado de CD-i, são revelados

domingo, 28 de setembro de 2014

Parte de um acordo feito entre a Nintendo e a Philips no começo da década de 90, o game Mario Takes America tinha como proposta principal oferecer aos jogadores uma maneira de conhecer melhor a cultura estadunidense enquanto acompanhava Mario em uma aventura de plataforma 3D por cenários do mundo real, como a cidade de Nova Iorque. Mario Takes America seria lançado para o console Philips CD-I, e esteve em desenvolvimento de 1992 a 1994 pelo estúdio canadense Cigam Entertainment, que chegou até mesmo a mostrar um vídeo do jogo durante a conferência New York CDi 3 em 1993, e também no evento Winter CES de 1994. Para dar vida a este intrigante e inovador conceito de jogo, a equipe de desenvolvimento se aventurou a bordo de helicópteros e barcos para tirar fotos das locações que estariam presentes em Mario Takes America, como as Cataratas de Niágara, o Fort Knox e até mesmo o famoso letreiro da cidade de Hollywood.

A ideia era mostrar uma versão 2D cartunizada de Mario viajando por diversos pontos turísticos dos Estados Unidos, de Nova Iorque a Hollywood, onde o bigodudo encerraria a aventura para estrelar seu próprio filme interativo. Para chegar ao seu destino, Mario viajaria de carro, caminhão, trem, aeroplano, helicóptero e motocicleta, tendo de enfrentar alguns clássicos inimigos pelo caminho. Veja abaixo algumas fotos do período de produção de Mario Takes America, que ilustram bem o esforço dos desenvolvedores para conseguir registrar os cenários do game com suas câmeras fotográficas da melhor forma possível.


Abaixo, você confere duas montagens feitas pelo site Unseen 64, que trazem uma vaga noção de como seria o game Mario Takes America em ação, caso ele tivesse sido realmente lançado; os desenvolvedores gostaram das montagens, mas disseram que, com exceção das cenas cinematográficas, Mario seria menor.


Uma matéria publicada em edição de 1993 da CD-i World Magazine, a revista oficial do console Philips CDI no Reino Unido, destaca as sequências de ação dramáticas do game, com cenas onde Super Mario voa sobre os céus de Manhattan, desliza na cachoeira de Niágara a bordo de um barril, comanda uma nave espacial, pilota um veloz barco sobre uma baía repleta de jacarés, guia uma motocicleta sobre a árida região de Badlands, enfrenta um pugilista peso-pesado em Las Vegas, e atravessa a rodovia LA Freeway para chegar à Hollywood a tempo de estrelar seu próprio filme interativo. Veja imagens desta matéria logo abaixo.


Um antigo funcionário da Cigam Entertainment fez também algumas revelações muito interessantes sobre alguns dos estágios que estavam sendo desenvolvidos. Uma das fases, por exemplo, se passava no topo de um trem, onde Mario deveria travar um feroz combate contra Koopas que chegavam através das laterais do trem, sendo que cada inimigo teria um estilo de luta diferente; uma câmera posicionada bem na janela de um dos vagões permitiria aos jogadores assistir à dramática escalada dos Koopas pelas laterais da embarcação em movimento. Na fase Space Shuttle, Mario usaria um mecanismo espacial chamado Canadarm para atrair moedas e para socar inimigos e asteróides que também liberariam moedas. Em Hollywood Sign, o objetivo do mascote seria perseguir correntes elétricas sobre o imenso letreiro da cidade. Alguns estágios trariam uma perspectiva em primeira pessoa, no estilo on-rail, ou "sobre trilhos" (não controlável), enquanto em outros estágios a jogabilidade assumia um formato de plataforma 2D tradicional, sempre tendo ao fundo paisagens reais dos EUA. Confira abaixo uma lista das fases que estavam sendo projetadas para Mario Takes America.


Estágios On-rail com visão em primeira pessoa

• New York / Manhattan Skyscraper Helicopter Ride (com tema musical “New York New York”)
• Niagara Falls Upper e Lower Rapids Barrel Game
• Louisiana Bayou com um Speedboat (barco de alta velocidade)
• Luta em Vintage Steam Train (no topo de um vagão de trem) no Texas
• Badlands Motorcycle Chase
• Las Vegas Neon Race (nunca completado)
• Los Angeles Car Race (corrida noturna pela rodovia LA Highway)

Estágios de plataforma 2D

• Fort Knox Gold (padronizado após sua aparição no filme 007 Contra Goldfinger)
• Carlsbad Caverns
• Hollywood Sign
• Batalha contra chefe final em Graumann’s Theatre

Outros estágios gravados

• Detroit Auto Factory (nunca completado)
• Florida Space Shuttle Ride
• Monument Valley Motorcycle Race on Highway (eles conseguiram até mesmo os direitos para executar o clássico rock “Born to Be Wild”, da banda Steppenwolf, nesta fase)

Infelizmente, devido às limitações técnicas do console Philips CDI, os desenvolvedores começaram a enfrentar diversos problemas durante a produção do game, o que tornou a criação de Mario Takes America um verdadeiro pesadelo. Percebendo a falta de progresso da Cigam Entertainment no desenvolvimento do game, a Philips cortou os recursos financeiros do estúdio. Confiantes no sucesso do conceito de jogabilidade por trás do game, a Cigam ainda tentou uma parceria com a Sega para a utilização de Sonic como personagem principal, e quando a tentativa não deu certo, chegou a criar um personagem próprio chamado Metal, inspirado no vocalista Dee Snider da banda de rock Twisted Sister. Mesmo assim, eles não conseguiram levar adiante seu ousado projeto.

As dívidas da Cigam junto ao Canadian Imperial Bank of Commerce fizeram com que o estúdio abrisse falência, e perdesse o direito sobre todo o material de produção do game para a instituição bancária canadense. Com isso, as chances de que venhamos a conhecer algum vídeo ou screenshot do game no futuro são pequenas, mas não nulas. E você, leitor(a), acredita que um game como Mario Takes America poderia realmente ter feito algum sucesso caso tivesse visto a luz do dia? Comente.

    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (0)

0 comentários:

Postar um comentário