John Leguizamo, o Luigi de 1993, critica elenco do novo filme do Mario por falta de diversidade


O colombiano John Leguizamo teve um papel importante como a outra metade dos encanadores extraordinários na película de 1993 Super Mario Bros., adaptação em live-action nada mais que ligeiramente baseada nos jogos e que não rendeu ao estúdio um retorno financeiro positivo – embora, hoje, seja considerado um fenômeno cult, talvez justamente por conta da quantidade de críticas negativas que acumulou.

E como já é de sabedoria popular entre os visitantes do Reino do Cogumelo, um novo filme do Mario, agora em animação 3D, está sendo produzido pela Illumination – estúdio de Chris Meledandri que assina a criação de desenhos como Meu Malvado Favorito, Sing: Quem Canta Seus Males Espanta e Pets: A Vida Secreta dos Bichos.

Apesar da forte confidencialidade em torno da produção, o elenco de atores que darão voz aos personagens do filme do Mario já nos foi revelado. Entre várias celebridades já conhecidas em Hollywood, destacam-se Chris Pratt (Vingadores: Guerra Infinita) e Charlie Day (It's Always Sunny in Philadelphia) como os irmãos Mario.

Apesar de conter alguns nomes de peso, não somente a escalação do elenco causou burburinho nas redes sociais devido à ausência de Charles Martinet, o ator de voz oficial de Mario, Luigi e demais personagens da franquia desde os anos 90, como John Leguizamo manifestou duras críticas ao novo casting.

Que bom que Super Mario Bros. está ganhando um reboot! Obviamente, é algo muito icônico. Mas que pena que escalaram apenas brancos! Não tem latinxs nos papéis principais! O original tinha um elenco daltônico inovador. Sem falar que sou o único que pode fazer esse filme funcionar em questão de roteiro!

O novo elenco, na verdade, não é composto inteiramente por brancos; afro-americanos como Keegan-Michael Key, que dará voz ao leal Toad, e Kevin Michael Richardson, o habilidoso Kamek, são presenças oficiais do casting — no entanto, a produção ainda carece de um representante da América Latina, e é essa a causa na qual Leguizamo costuma engajar.

Leguizamo, que já foi demitido de uma produção por ela não ter espaço para "duas pessoas latinas", constantemente luta pela inclusão dos latino-americanos em produções de Hollywood. Em Super Mario Bros., ele era praticamente o único representante da América Latina em meio a um elenco protagonizado por atores e atrizes caucasianos. E, segundo a própria codiretora Annabel Jankel em excerto do livro "Lights, Camera GAME OVER!: How Video Game Movies Get Made", ele foi escolhido a dedo:

John era um brilhante ator e comediante em ascensão. [...] Fomos vê-lo no Second City e ficamos 100% convencidos. Ele tinha uma maravilhosa combinação de empatia e irreverência, mas era totalmente sem malícia. Não foi especificamente roteirizado que um ator hispânico ou latino fosse escalado, mas fazia todo o sentido que os próprios irmãos Mario fossem uma família moderna não convencional, então essa pequena unidade de duas pessoas não poderia ser reduzida a apenas uma coisa ou outra.

Também apesar da palavra de Leguizamo, pode-se dizer que o filme "original" de Super Mario Bros. não tenha sido a produção de Rocky Morton e Annabel Jankel, mas sim, Super Mario Bros.: Peach-hime Kyushutsu Dai Sakusen!, um longa-metragem de anime lançado apenas no Japão no ano de 1986.


Ainda sem título, o novo filme animado do Mario pela Illumination estreia no dia 21 de dezembro de 2022 e conta com Chris Pratt (Guardiões da Galáxia) como Mario, Anya Taylor-Joy (O Gambito da Rainha) como princesa Peach, Charlie Day (It's Always Sunny in Philadelphia) como Luigi, Jack Black (Escola de Rock) como Bowser, Keegan-Michael Key (Key & Peele) como Toad, Seth Rogen (O Rei Leão) como Donkey Kong, Fred Armisen (Saturday Night Live) como Cranky Kong, Kevin Michael Richardson (As Tartarugas Ninja) como Kamek, Sebastian Maniscalco (O Irlandês) como Spike e Charles Martinet como participações especiais.

O filme terá a direção de Aaron Horvath e Michael Jelenic, sobre roteiro de Matthew Fogel.

E você, querido(a) leitor(a)? Qual é a sua expectativa para o filme? Comente e continue ligado para mais novidades sobre Super Mario e universo da Nintendo!
Eduardo Jardim

Natural de São Paulo (SP), Eduardo "Pengor" Jardim é um criador de conteúdo, cartunista e imaginauta. Criou o Reino do Cogumelo em 2007 e desde então administra e atualiza seu conteúdo, conquistando um prêmio Top Blog e passagens pela extinta Nintendo World.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem