Top 5: Momentos do Mario que você preferiria não ter visto

Mais do que uma simples série de jogos, Super Mario apresenta aos seus fãs e consumidores um universo fantástico de infinitas possibilidades — desde o transporte baseado em canos hidráulicos interdimensionais até a maravilhosa peculiaridade cultural e comportamental de sociedades inteiras do Mundo do Cogumelo. No entanto, apesar de tudo parecer um mar de rosas, estrelas e cogumelos à primeira vista, se olharmos mais atentamente corremos o risco de topar com alguns momentos isolados em que as coisas não acabam sendo tão mágicas quanto esperado. A seguir, você confere um Top 5 do Reino do Cogumelo compilando os momentos do Marioverso que você preferiria não ter visto...

5. Luigi travestido

Talvez devido ao apelo cômico embutido na personalidade do acovardado Luigi, parece haver algo irresistível para os roteiristas e até mesmo os desenvolvedores de jogos ao colocar o encanador verde nas situações mais embaraçosas — como se já não bastasse ser deixado para trás em vários jogos principais da série! Tanto na história em quadrinhos de Charlie Nozawa Super Mario Adventures quanto nos RPGs Paper Mario: The Thousand-Year Door e Mario & Luigi: Superstar Saga, o irmão Mario verde já apareceu travestido como a princesa dos cogumelos — e até mesmo com um vestido de noiva, bem feminino e elegante! Luigi, Luigi... o que a Daisy poderia pensar disso?

4. As silhuetas de Shiverburn Galaxy

De todos os segredos da série Mario, poucos conseguiram ser tão apavorantes quanto as figuras macabras de Shiverburn Galaxy, do mundo 5 de Super Mario Galaxy 2. E para ativar um gélido calafrio na espinha do jogador, não demora muito: no início das missões Prince Pikante's Peppery Mood e Octo-Army Icy Rainbow Romp, ao utilizar a visualização em primeira pessoa no topo das geleiras à extrema esquerda do cenário, é possível notar três criaturas aterrorizantes que vigiarão todo o seu progresso. A quem pertencem tais silhuetas? Não se sabe; apenas que seus nomes na programação do jogo são "HellValleySkyTrees", ou "árvores do céu do vale do inferno". Apesar de todo o mistério, uma coisa é certa: você nunca verá essa galáxia da mesma forma!

3. Sem-vergonhice no Boom Boom Bar

De todas as cenas no mínimo curiosas do filme Super Mario Bros., de 1993, escolhemos a porção da dança dos Irmãos Mario na casa noturna Boom Boom Bar para nomear como a mais bizarra. Não bastasse corromper tudo o que se sabia sobre a série Mario em uma só cena — como distorcer a natureza do temeroso Big Bertha, o peixe devorador de Super Mario Bros. 3, e colocar os irmãos encanadores, agora encarnados em Bob Hoskins e John Leguizamo, numa boate noturna —, ainda somos obrigados a presenciar a versão hollywoodiana de nosso grande herói de infância sendo feito de gato e sapato nas mãos da rechonchuda Francesca P. Roberts enquanto tenta, a todo o custo, roubar o cobiçado meteorito que estava em sua posse. Digamos que Mario caindo de boca na botija não seja exatamente a imagem que queremos ter do grande Super Mario...

2. O príncipe fura-olhos

À primeira vista, não há nada de errado com o Príncipe Haru. Apresentado em Super Mario Bros.: Peach-hime Kyushutsu Dai Sakusen!, o insigne longa-metragem animado produzido pela Grouper Studios e distribuído pela Toei Animation em 1986, o príncipe possui coragem e altruísmo para guiar os mocinhos ao longo de sua grande jornada para salvar a princesa Peach. Mas tem um motivo específico para tanto... afinal, ele é nada menos que o noivo da alteza dos cogumelos! Conhecido pelos fãs mais íntimos da franquia como o maior fura-olho da história da ficção, Haru parte o coração do heróico, silente encanador apaixonado em mil e um pedaços — nos obrigando a separar a história canônica do Mario para que não haja frustração. Mesmo com o retumbante triunfo sobre as forças do mal, ainda corisca na história aquele sentimento de derrota — e a memória de uma cena de desilusão a qual preferiríamos não ter visto.

1. "Thank you, Mario! But..."

O ano é 1985. Em Super Mario Bros., você é convidado para embarcar numa jornada que, apesar dos 40KB de tamanho em disco, pode ser maior do que a própria vida. Você encontra o primeiro Goomba da história, salta sobre precipícios e escaldantes poços de matéria vulcânica e dá um fim à torrente de ataques do poderoso rei dos Koopas, somente para descobrir que... a princesa está em outro castelo. Acontece que, para enganar o pobre baixinho do Mundo Real, Bowser cria cópias de si mesmo — os intitulados False Bowsers — e os espalha ao longo dos sete primeiros mundos do Reino do Cogumelo. A este desapontamento multiplicado por sete — o que podemos apelidar de "hepta-frustração" — dedicamos as nossas mais nostálgicas memórias... apesar de serem algo que não gostaríamos de ter. Mas se não tê-las, como sabê-lo?
Considerações: olhar tarado de Anthony Scapelli (filme), flerte de Birdo com Popple (Mario & Luigi: Superstar Saga), o assassinato de Yoshi (filme), bigode falso do Toadsworth no armário (Mario Golf: Advance Tour), Bowletta (Mario & Luigi: Superstar Saga), a transformação de Mimi (Super Paper Mario), o final de Super Mario Bros. 2.
Eduardo Jardim

Natural de São Paulo (SP), Eduardo "Pengor" Jardim é um criador de conteúdo, cartunista e imaginauta. Criou o Reino do Cogumelo em 2007 e desde então administra e atualiza seu conteúdo, conquistando dois prêmios Top Blog e passagens pela saudosa Nintendo World.

3 Comentários

  1. Só achei a 3 e a 2 horríveis. Por isso, prefiro pensar que os dois filmes não fazem parte da história do Mario. :P

    ResponderExcluir
  2. eu tambem u.koopa, quando vi o anime e descobri que a princesa era casada fiquei com muita pena do mario...

    ResponderExcluir
Postagem Anterior Próxima Postagem