domingo, 10 de abril de 2016

Desenvolvedor revela problema no hardware do Nintendo 64 que quase atrasou (mais) o lançamento do console

Embora seja um dos consoles mais estimados por fãs da Nintendo, é fato que o Nintendo 64 chegou um pouco tarde demais ao mercado para deter a popularidade em franca ascensão de seu rival, o console PlayStation, da Sony. Isso aconteceu devido à inclusão do poderoso chip gráfico SGI no hardware deste console, que devido à sua complexidade acabou atrasando o lançamento do sistema no mundo todo. Mas poderia ter sido pior. Em entrevista concedida ao site Nintendo Life, o desenvolvedor Martin Hollis, que dirigia a produção do game Goldeneye 007 na época, afirma ter encontrado um ponto fraco no hardware do Nintendo 64 ao realizar um teste do chip SGI; leia a reveladora declaração logo abaixo.

Eu escrevi uma peça de código que exibia icosaedros; tantos quantos eram possíveis até que a velocidade caiu para aquém de 60Hz. O chefe do projeto na SGI não ficou nada satisfeito em descobrir como era o desempenho da máquina em relação aos triângulos por segundo. Ele pediu para ver se meu código era ineficiente. Mas não era. Ele me disse mais tarde que a SGI quase fez outra segunda mudança no hardware para consertar o problema, que estava na interface de memória.

Eu não sei os números exatos, mas o que se diz é que uma segunda mudança no hardware (equivalente à segunda edição de um livro) custa milhões de dólares, e há o custo de um atraso em lançar o console no mercado que seria um estrago consideravelmente maior.

Apesar deste erro, Hollis acredita que o Nintendo 64 era uma máquina extremamente rápida para a época, sem precisar fazer uso excessivo de artifícios visuais que acabavam distraindo a atenção dos jogadores em alguns games do PlayStation, por exemplo. E você, leitor(a), acredita que a SGI tomou a decisão correta ao não realizar esta segunda mudança no hardware do Nintendo 64 que poderia ter atrasado ainda mais o lançamento do console? Comente!

    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (0)

0 comentários:

Postar um comentário