terça-feira, 21 de agosto de 2012

Análise Real: New Super Mario Bros. 2 (3DS)

Anunciado durante a apresentação da Nintendo na E3 2012, New Super Mario Bros. 2, lançado em 19 de agosto de 2012 para 3DS (tanto por eShop como em redes de varejo) já era descrito como uma jornada bastante familiar aos fãs da série, mas que ao mesmo passo apresentava novidades em vários aspectos determinados — que vão desde o meticuloso design das fases até o foco geral do game: a coleta de moedas douradas. De fato, apesar da introdução de novos desafios ao longo das fases e da emocionante reentrada de elementos nostálgicos perdidos no começo dos anos '90, tudo no jogo acaba se voltando ao recorde de moedas obtidas durante sua jogatina.

New Super Mario Bros. 2 vai fundo na corrida pelo ouro... mas será que consegue?

História Áurea

Num dia qualquer no Reino do Cogumelo, os Irmãos Mario se encontram com a gentil e caritativa Princesa Peach. Por um breve período de tempo, os encanadores extraordinários decidem conquistar os céus com seus poderes de guaxinim para relembrar os velhos tempos e coletar algumas moedas perdidas em áreas remotas da atmosfera. Ao retornarem à terra firme, no entanto, um incomum momento de ausência da princesa dos cogumelos transforma-se em mais uma investida dos Koopalings, os filhos de Bowser, que a sequestram a bordo do sempre nostálgico Koopa Clown Car. É quando Mario e Luigi assumem mais uma jornada pelas cercanias do reino para resgatar Peach dos terríveis vilões e impedir que o Bowser, os Koopalings e seus guardiões selvagens Reznor continuem disseminando o caos pelo mundo.

Como se nota, a não contar por pequenos detalhes como o manuseio do Koopa Klown Car pelos sete Koopalings, a história não apresenta mudanças inovadoras quando comparada a demais títulos da série; ainda não há como explicar narrativamente a profusão de moedas douradas no game, mas podemos assumir que elas sempre estiveram lá, esperando o momento certo para se manifestarem. Se houve algo específico para ativar essa reação, talvez não nos importe tanto; vamos simplesmente nos divertir com o que o jogo tem a oferecer e deixar a lógica para que o Wario tente descobrir!

A Corrida Pelo Ouro

Em New Super Mario Bros. 2, não importa o que você faça, onde você pise ou sequer o que você respira, isso sempre acarretará a coleta de moedas douradas. Os games do bigodudo sempre possibilitaram o acúmulo de moedas — o mais notório deles sendo Super Mario World, no qual era possível que centenas de moedas fossem coletadas em determinadas porções de uma só fase —, mas nunca houve nada tão abundante quanto agora.

Antigamente, as moedas tinham um valor muito maior. Somente quem já desbravou o Reino do Cogumelo na jornada original de Super Mario Bros. sabe o quanto era importante obter no mínimo dez moedas em cada um dos tijolos escondidos que o tornavam possível. A essência da vida é um conceito cada vez mais escasso no Marioverso, e New Super Mario Bros. 2 nos introduz a uma realidade onde um jogo pode ser zerado com 300 vidas extras remanescentes — indiferente ao número de vezes em que o encanador foi para o beleléu. O objetivo é a obtenção de 1 milhão de moedas. Os números são registrados não somente em seu 3DS, como também no modo Worldwide Coin Rush alimentado pela função SpotPass do sistema. É uma forma efetiva de reunir os fãs de Mario do mundo todo numa só conquista.


Quem quer dinheiro?

O jogo fará o impossível para colocar nossos heróis de classe operária na lista dos maiores magnatas do mundo. Isso se dá por uma preciosa combinação de itens, superpoderes e inimigos. Moedas especiais como as Red Coins, as 10 Gold Coins, as 100 Gold Coins e até mesmo as Crown Coins — que só podem ser obtidas por meio do StreetPass e valem nada menos que 1000 unidades — existem com o propósito solo de aumentar o seu placar. A nova e espetacular Gold Flower é capaz de conceder, com uma simples rajada de ouro, a conversão de pilhas infindáveis de blocos e inimigos em uma paisagem repleta de moedas flutuantes.

Quando acionado, o Gold Ring transforma todos os inimigos ao redor em estátuas ambulantes de puro ouro líquido; neste estado, as vítimas de Midas podem reagir de formas diferentes — variando conforme a espécie. Por exemplo, o casco de um Koopa Troopa dourado deixará um rastro de moedas por onde passar quando for chutado. As Plantas Piranha de ouro, quando derrotadas, ativam a explosão de uma cadeia de moedas provenientes do lugar onde estavam instaladas. Lakitus e Hammer Bros. passarão a arremessar três moedas ao invés de seus projéteis — Spiny e martelo, respectivamente —, e Bullet/Banzai Bills, Cheep-Cheeps e Boos/Big Boos deixarão uma trilha de moedas por onde quer que passarem. Tudo isso por tempo limitado, mas é absolutamente incrível o que o jogo permite que o jogador conquiste em apenas alguns poucos segundos.


Nenhuma dessas combinações seria efetiva sem o atilamento do level design do jogo; este é possivelmente o aspecto mais forte de New Super Mario Bros. 2. Ao invés de aparecerem de forma desenfreadamente aleatória, as moedas são sempre engatilhadas por alguma estratégia, seja com botões, deslocamento de objetos, uso de Power-Ups ou o simples ato de posicionar o Mario em lugares improváveis, como no topo de blocos altos. Isso oferece recompensas muito boas aos jogadores mais sagazes, daqueles que sempre desconfiam que há um bloco invisível nos arredores do portão dos chefões, que sempre notam algo diferente na estrutura das formações rochosas e que conhecem a simetria das plataformas da série Mario, cientes de que sempre haverá a possibilidade de brotar um novo pé-de-feijão por ali. Aqueles jogadores de Donkey Kong Country, que sabiam em que parte de Coral Capers encontravam-se os vãos para passagens secretas ao lado do fiel Enguarde. New Super Mario Bros. 2 foi desenvolvido para eles.

Círculo de Inimigos

Diferente do que a Nintendo criou para Super Mario 3D Land, há pouquíssimas adições à série Mario no que se refere a inimigos, personagens e obstáculos. A grande maioria dos oponentes dos irmãos bigodudos é formada por vilões recorrentes. Em contraste, alguns deles foram trazidos à tona pelo mero fator nostalgia, como é o caso dos Reznor, os tricerátopos gigantes que guardavam as fortalezas de Super Mario World no começo dos anos '90. Os únicos oponentes que estrearam no game foram o gigantesco Boohemoth — um dos maiores Boos já criados da história —, os Mini Urchins, versões diminutas dos ouriços do mar nascidos em Super Mario World, e as versões "Bone" de Goombas e Plantas Piranhas.


Big Bone Piranha Plant e Boohemoth colocam pressão nos encanadores extraordinários

Anos Dourados

Seguindo a linha de pensamento adotada pela Nintendo com os games recentes do Mario, nostalgia é uma das maiores apostas de New Super Mario Bros. 2. Ao dar proeminência a cenas que há muito já não eram mais utilizadas pela Nintendo, como Bowser arremessando martelos, a transformação original de Raccoon Mario e a barra de medição P-Meter, planos de fundo retirados diretamente da Ilha do Chocolate (Chocolate Island) e a simbologia de uma lua sorridente (como as Luas 3-Vidas, ou 3-Up Moons, de Super Mario World), o game é uma máquina do tempo definitiva que te renderá o prazer de chafurdar nas memórias de video game mais divertidas que sua mente armazenou ao longo das últimas décadas.


Algumas das cenas que podem disparar seu sentido de retrogamer

Veredito

Um dos jogos do Mario que mais atingiram excelência nos quesitos de desenvolvimento estratégico de fases e manipulação de homenagens nostálgicas para jogadores saudosistas dos anos '90. Infelizmente, conta com uma longevidade extremamente reduzida, podendo ser finalizado em aproximadamente cinco horas de gameplay. O modo Coin Rush, habilitado por conexão StreetPass, é o maior responsável pelo ar de longevidade do título.

Deve levar crédito por disponibilizar o modo de multiplayer cooperativo em que dois jogadores percorrem as mesmas fases como Mario e Luigi — havendo, é claro, a existência de duas cópias do game para a ativação sucedida do wireless local. Não obstante, totalmente diferente de New Super Mario Bros. Wii — que parece ter sido construído desde o zero para satisfazer o modo multiplayer —, a aventura a dois de New Super Mario Bros. 2 é desfocada e restrita, e um elemento tratado como praticamente dispensável.


Luigi! Tente acompanhar!

Os visuais são ótimos, embora o uso do 3D seja supérfluo a ponto de os detalhes da aventura serem muito melhor aproveitados em pleno 2D — criando uma questão filosófica sobre o porquê de New Super Mario Bros. 2 estar no 3DS. Para o jogo, as funções do sistema é que valem ouro.

O maior alvo de críticas negativas do jogo foi o áudio, que consiste basicamente de músicas recicladas de dois games que, de tanto sucesso, tornaram algumas de suas melodias permanentemente impregnadas em nossos cérebros. Após tanto tempo escutando as mesmas músicas, sejam de desertos, fortalezas ou Casas Fantasma, cria-se um incômodo entre os gamers que pode se transformar facilmente em rejeição. Mas nem tudo está perdido! Nossos ouvidos ainda agradecem pelas novas batidas adicionadas às músicas antigas e pelo frescor de melodias incomparáveis, como o tema de World Flower, um dos três mapas secretos do game.

Mesmo com tantos pontos a pesar, uma coisa é certa: New Super Mario Bros. 2 é um jogo carregado com a definição de toda a franquia. Pode até não valer ouro, mas carrega uma essência de valor inestimável.


Muito julgado por falta de inovação e originalidade, é o melhor representante de nostalgia e level design. Com certeza, a melhor plataforma 2D para 3DS até o momento.8.5
SUPER!

    • Comentários

  • Facebook ()
  • Google (8)

8 comentários:

Domênico Antonio disse...

Acho que a nota está correta eles bem que podiam mudar a história do começo uma vez na vida né?

Super Mario disse...

Ótima análise! :D Eu gostaria de mais músicas novas, pelo menos para os mapas de mundo.

Holo disse...

Se eu ganhar uma vida a cada 100 moedas, quer dizer que ganho uma vida a cada 5 minutos? Se for, passo.

Alexandre Ribeiro disse...

So comprei o kid icarus ao inves desse porque a caixa eh maior(caixas maiores = mais coisas legais :D)

RaFaEl.cpv disse...

@Domênico Antonio acho que a história nem é o problema, eles tinham que se deixa o game novo e não um New do mesmo.
Poxa deviam caprichar, o começo do Mario 64 e Galaxy é o mesmo mas o game é inovador.
Diferente dele que é o mesmo só com a mecânica das moedas que poderia ser facilmente uma DLC pro NEW Super Mario Bros Wii.

3D Land disse...

Gostei muito da analise, eu acho q eles não criaram musicas novas,porque o koji kondo(não sei se esta certo) estava fazendo o novo soundtrack de New Super Mario Bros U.

Filipe Augusto disse...

Pra mim o importante não é história nem música, é o jogo, é como eu gostei dele, quando tiver 3DS e dinheiro, vou comprar.

1 Up disse...

Otima analise, bom jogo

Postar um comentário